sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Rodando

"(...)
Assistia ao mundo, rodava macio tudo, o ônibus, a vida, nem protagonista nem autora, era figurante, nem ao menos fazia o ponto naquele teatro perfeito, era só platéia. Aplaudia, gostando sinceramente de tudo. Contra céu azul e cheiro de mato verde Deus regia o planeta. Estava muito surpresa com a perfeita mecânica do mundo e muitíssimo agradecida por estar vivendo. Foi quando teve o pensamento de que tudo que nasce deve mesmo nascer sem empecilho, mesmo que os nascituros formem hordas e hordas de miseráveis e os governos não saibam mais o que fazer com os sem-teto, os sem-terra, os sem-dentes e as igrejas todas reunidas em concílio esgotem suas teologias sobre caridade discernida e não tenhamos mais tempo de atender à porta a multidão de pedintes. Ainda assim, a vida é maior, o direito de nascer e morar num caixote à beira da estrada. Porque um dia, e pode ser um único dia em sua vida, um deserdado daqueles sai de seu buraco à noite e se maravilha. Chama seu compadre de infortúnio: vem cá, homem, repara se já viu o céu mais estrelado e mais bonito que este! Para isto vale nascer."

sábado, 25 de dezembro de 2010

Você está cheia de memórias (...)
- Eu sei. Às vezes acho que não vou esquecer. Mas está passando. Vai passar, vai passar.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Two of us




Two of us riding nowhere
Spending someone's
Hard earned pay
You and me Sunday driving
Not arriving
On our way back home
We're on our way home
We're on our way home
We're going home
 
Two of us sending postcards
Writing letters
On my wall
You and me burning matches
Lifting latches
On our way back home
We're on our way home
We're on our way home
We're going home
 
You and I have memories
Longer than
the road that stretches out ahead
 
Two of us wearing raincoats
Standing so low
In the sun
You and me chasing paper
Getting nowhere
On our way back home
We're on our way home
We're on our way home
We're going home
 
You and I have memories
Longer than the road that
stretches out ahead
 
Two of us wearing raincoats
Standing so low
In the sun
You and me chasing paper
Getting nowhere
On our way back home
We're on our way home
We're on our way home
We're going home
 
You and I have memories
Longer than the road that
stretches out ahead
(...)
 

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Trem de doido

Noite azul, pedra e chão
Amigos num hotel
Muito além do céu
Nada a temer, nada a conquistar
Depois que esse trem começa andar, andar
Deixando pelo chão
Os ratos mortos na praça..
Do mercado..

Quero estar, onde estão
Os sonhos desse hotel
Muito além do céu
Nada a temer, nada a combinar
Na hora de achar meu lugar no trem
E não sentir pavor
Dos ratos soltos na casa..
Minha casa..

Não precisa ir muito além dessa estrada
Os ratos não sabem morrer na calçada
É hora de você achar o trem
E não sentir pavor
Dos ratos soltos na casa..
Sua casa...

Milton Nascimento e Lô Borges - Trem de Doido

domingo, 12 de dezembro de 2010

Rock me baby

 Uaaaaau.

One of these days

"One of these days
I'm going to cut you into little pieces."

Time



Ticking away the moments that make up a dull day
You fritter and waste the hours in an off hand way
Kicking around on a piece of ground in your home town
Waiting for someone or something to show you the way

Tired of lying in the sunshine staying home to watch the rain
You are young and life is long and there is time to kill today
And then one day you find ten years have got behind you
No one told you when to run, you missed the starting gun

And you run and you run to catch up with the sun, but it's sinking
And racing around to come up behind you again
The sun is the same in a relative way, but you're older
Shorter of breath and one day closer to death

Every year is getting shorter, never seem to find the time
Plans that either come to naught or half a page of scribbled lines
Hanging on in quiet desperation is the English way
The time is gone the song is over, thought I'd something more to say

Home, home again
I like to be here when I can
When I come home cold and tired
It's good to warm my bones beside the fire
Far away across the field
The tolling of the iron bell
Calls the faithful to their knees
To hear the softly spoken magic spells

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Carta

 "Releio Alice no País das Maravilhas e descubro que sou um menino que caiu na toca do coelho e ainda não conseguiu entender tudo (jamais saberei). A gente olha em volta, o olho arregala, o coração bate. O ano tá terminando, meu amigo. Menos um. Os votos de feliz-ano-novo foram proibidos. Uma das coisas boas desse ano que passou foi conhecer você. Fique contente, dentro do possível, fique contente".

Lola



Sabia 
Gosto de você chegar assim
Arrancando páginas dentro de mim
Desde o primeiro dia
Sabia 
Me apagando filmes geniais 
Rebobinando o século
Meus velhos carnavais 
Minha melancolia
Sabia 
Que você ia trazer seus instrumentos
E invadir minha cabeça 
Onde um dia tocava uma orquestra
Pra companhia dançar
Sabia 
Que ia acontecer você um dia
E claro que já não me valeria nada 
Tudo o que eu sabia
Um dia..

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Poema

"Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com o seu carinho
E lembrei de um tempo..

Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era ainda criança..
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou consolo..

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim
E que não tem fim

De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás.."

Poema - Ney Matogrosso

Vingança boba


"Ah, minha criança, minha vingança é boba
Passei a vida te esperando, entende?
Quando eu te escondo o jogo
Quando eu te trato mal
É tudo medo, é tudo medo do amor

Que me entristece, que me enlouquece sempre
Mas é de verdade, é liberdade, esquece
Tudo na vida volta
Tudo na vida vai
Tá tudo em cima, tá tudo lindo agora
A gente junto, o mundo que vá embora
Com suas juras falsas
Com seus anúncios falsos

Tá tudo OK, tá tudo na boa agora
A gente chora, a gente ri, tem hora
Hora pra tudo, hora pra ir embora
Hora pra ir embora.."

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Going to California

Aos poucos..



"Spent my days with a woman unkind
Smoked my stuff and drank all my wine
Made up my mind to make a new start
Going to California with an aching in my heart
Someone told me there's a girl out there
With love in her eyes and flowers in her hair..

Took my chances on a big jet plane
Never let them tell you that they're all the same
The sea was red and the sky was grey
Wondered how tomorrow could ever follow today
The mountains and the canyons started to tremble and shake
As the children of the sun began to awake

Seems that the wrath of the Gods
Got a punch on the nose and it started to flow
I think I might be sinking
Throw me a line if I reach it in time
I'll meet you up there where the path
Runs straight and high

To find a queen without a king
They say she plays guitar and cries and sings la la la la
Ride a white mare in the footsteps of dawn
Trying to find a woman who's never, never, never been born
Standing on a hill in my mountain of dreams
Telling myself it's not as hard, hard, hard as it seems.."

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Aqui é dor, aqui é amor, 
aqui é amor e dor, 
onde um homem projeta seu perfil e pergunta atônito: 
em que direção se vai?

Poema antigo

"Está tudo planejado:
se amanhã o dia for cinzento,
se houver chuva
se houver vento,
ou se eu estiver cansado
dessa antiga melancolia
cinza fria
sobre as coisas
conhecidas pela casa
a mesa posta
e gasta
está tudo planejado
apago as luzes, no escuro
e abro o gás
de-fi-ni-ti-va-men-te
ou então
visto minhas calças vermelhas
e procuro uma festa
onde possa dançar rock
até cair"

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

..

Estremecerei de susto até dormir, e no entanto é tudo tão pequeno. Para o desejo do meu coração, o mar é uma gota.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Dialética

É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz
Mas acontece que eu sou triste..

sábado, 13 de novembro de 2010

Sinhazinha (despedida)

Era hora de acordar
Que ainda tinha,
Tinha muito que fazer
Melodia pra cantar
Poesia pra viver
E pensar que foi tanta
Poesia que eu tive.

Era hora de acordar
Tinha um mundo pra aprender
Tem às vezes que brigar
Pra tristeza não vencer
A vontade de dançar
E a criança pra nascer
Mala grande pra arrumar
Vinho branco pra esquecer.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Resposta


 A brisa fria bateu na pele como um golpe de paz.
— Às vezes preciso olhar o céu para ser feliz.
Pra esperança uma estrela caiu.
Era para mim.


The man I love

Someday he'll come along, The man I love
And he'll be big and strong, The man I love
And when he comes my way
I'll do my best to make him stay 

He'll look at me and smile, I'll understand
Then in a little while, He'll take my hand
And though it seems absurd
I know we both won't say a word

Maybe I shall meet him Sunday,
Maybe Monday, maybe not
Still I'm sure to meet him one day
Maybe Tuesday will be my good news day

He'll build a little home, That's meant for two
From which I'll never roam, Who would, would you
And so all else above
I'm dreaming of the man I love..

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Beautiful thing




I've told you once, now you should know
The reason that I'm coming down.
There ain't no time to repeat again;
Just need to bring it around.

We had a beautiful thing going,
You couldn't see things my way.
We had a beautiful thing going,
Something just got in our way.

And I told you once that it was rough.
I looked on you as my friend,
Because that did not seem to be good enough,
And now it's time to begin.

We've got a beautiful thing going,
I hope that's the way it will stay.
We've got a beautiful thing going,
Nothing can stand in our way.

Eric Clapton - Beautiful Thing

Like a hurricane

Eu fico vidrada, louca apaixonada, quando vejo este video..

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Escravo da alegria

E eu que andava nessa escuridão
De repente foi me acontecer
Me roubou o sono e a solidão
Me mostrou o que temia ver
Sem pedir licença, nem perdão
Veio louca pra me enlouquecer
Vou dormir querendo despertar
Pra depois de novo conviver
Com essa luz que veio me habitar
Com esse fogo que faz arder
Me dá medo e vem me encorajar
Fatalmente me fará sofrer


Ando escravo da alegria
Hoje em dia minha gente
Isso não é normal
Se o amor é fantasia
Eu me encontro ultimamente
Em pleno carnaval

Vinicius e Toquinho - Escravo da Alegria

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Se eu fosse uma música..

E hoje, se eu fosse uma música, certamente seria esta..

 Eric Clapton - Snake Drive
 

nu como um grego
ouço um músico negro
e me desagrego

Further on up the Road

Oh Yeah!
I was missing some blues..



".. You been laughing, pretty baby, someday you’re gonna be crying.
You been laughing, pretty baby, someday you’re gonna be crying.
Further on up the road you’ll find out I wasn’t lying.."

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Esquadros

 "Eu ando pelo mundo
Prestando atenção em cores
Que eu não sei o nome
Cores de Almodóvar
Cores de Frida Kahlo
Cores.."
 



Adriana Calcanhoto - Esquadros

Trem Azul


Coisas que a gente se esquece de dizer
Frases que o vento vem às vezes me lembrar
Coisas que ficaram muito tempo por dizer
Na canção do vento não se cansam de voar

Você pega o trem azul
O sol na cabeça
O sol pega o trem azul
Você na cabeça
O sol na cabeça

Milton Nascimento e Lô Borges - Trem Azul

domingo, 7 de novembro de 2010

Desapego

A vida vai depressa e devagar
Mas a todo momento
penso que posso acabar.

Porque o bem da vida seria ter
mesmo no sofrimento
gosto de prazer.

Já nem tenho vontade de falar senão com árvores, vento, estrelas, e águas do mar. E isso pela certeza de saber que nem ouvem o meu lamento nem me podem responder. 


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

No coração, talvez.

No coração, talvez, ou diga antes:
Uma ferida rasgada de navalha,
Por onde vai a vida, tão mal gasta.
Na total consciência nos retalha.
O desejar, o querer, o não bastar,
Enganada procura da razão
Que o acaso de sermos justifique,
Eis o que dói, talvez no coração.

Pesquisar este blog