quinta-feira, 16 de junho de 2011

Marcha da Liberdade


No próximo sábado (18/06) será realizada a Marcha da Liberdade em Maringá, simultaneamente à várias outras cidades no Brasil. A concentração será às 14:00 no DCE, seguindo para a Câmara Municipal e culminando com apresentações artísticas. Num período de intensificação da repressão aos movimentos sociais e à juventude de Maringá, nos levantamos em protesto contra a repressão e convocamos a Marcha da Liberdade. Não deixe que nos calem!

Convocamos:
Todos aqueles que não se intimidam, e que insistem em não se calar diante da violência. Contamos com as pernas e braços dos que se movimentam, com as vozes dos que não consentem. Ligas, correntes, grupos de teatro, dança, coletivos, povos da floresta, grafiteiros, operários, hackers, feministas, bombeiros, maltrapilhos e afins. Associações de bairros, ONGs, partidos, anarcos, blocos, bandos e bandas. Todos os que condenam a impunidade, que não suportam a violência policial repressiva, o conservadorismo e o autoritarismo do judiciário e do Estado. Que reprime trabalhadores e intimida professores. Que definha o serviço público em benefício de interesses privados.
Ciclistas, lutem pelo fim do racismo. Negros, tragam uma bandeira de arco-íris. LGBTT, gritem pelas florestas. Ambientalistas, cantem. Artistas de rua, defendam o transporte público.Pedestres, falem em nome dos animais. Vegetarianos, façam um churrasco diferenciado!
Nossas reivindicações não têm hierarquia. Todas as pautas se completam na perspectiva da luta por uma sociedade igualitária, por uma vida digna, de amor e respeito mútuos. Somos todos pedestres, motoristas, cadeirantes, catadores, estudantes, trabalhadores. Somos todos idosos, índios, travestis. Somos todos nordestinos, bolivianos, brasileiros, vira-latas.
E somos livres.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Estranheza do mundo


Olho a árvore e indago: está aí para quê?
O mundo é sem sentido
quanto mais vasto é.
Esta pedra esta folha
este mar sem tamanho
fecham-se em si,
me repelem.
Pervago em um mundo estranho.
Mas em meio à estranheza
do mundo, descubro
uma nova beleza
com que me deslumbro:
é teu doce sorriso
é tua pele macia
são teus olhos brilhando
é essa tua alegria.
Olho a árvore e já
não pergunto "para quê"?
A estranheza do mundo
se dissipa em você.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

I don't hurt anymore




I don't hurt anymore
All my teardrops are dried
No more walkin' the floor
With that burnin' inside

Just to think it could be
Time has opened the door
And at last I am free
I don't hurt anymore.

No use to deny
I wanted to die
The day you said we were through
But now that I find you're out of my mind
I can't believe that it's true
I've forgotten somehow
That I cared so before
And it's wonderful now
I don't hurt anymore.

Pesquisar este blog